CURIOSIDADES DA TRADUÇÃO – EL MATADOR?! NÃO. APENAS UMA ESCOLHA INFELIZ DE PALAVRAS.

Outubro 13, 2020
Paula Ribeiro

Expandir o nosso negócio internacionalmente pode ser empolgante, mas para que essa expansão seja bem sucedida, é necessário atrair o consumidor internacional e não enviar a mensagem errada, que não só pode desencorajar o consumidor a comprar o seu produto ou serviço como pode originar grandes prejuízos para a sua empresa.

Muitas empresas aprenderam da forma mais difícil que uma campanha publicitária ou de marketing deve ser cuidadosamente traduzida ou “transcriada”, como será mais correto chamar-lhe, para uma língua estrangeira. A tradução do nome de um produto, por exemplo, é de suma importância para uma marca global já que pode afetar uma campanha de marketing antes mesmo de esta começar.

A American Motors, por exemplo, cometeu esse erro no início dos anos 1970 ao chamar ao seu automóvel ligeiro «Matador», e embora esse nome tivesse a intenção de evocar coragem e força, foi considerado demasiado agressivo para os consumidores porto-riquenhos chamar ao automóvel “assassino”.

Nem será preciso dizer que o nome não gerou muita confiança no seio dos condutores e que as perdas foram enormes para a marca.

Paula Ribeiro